Polônia promove o vôlei como atração turística

Por Sidrônio Henrique - 31/03/2019 - 14h29 - São Paulo

Poloneses levaram o voleibol para feira na Alemanha (Foto: Filip Grądek/PZPS)
 
O fã de vôlei certamente sabe da paixão dos poloneses pela modalidade. Quem já conferiu de perto sentiu o quanto é contagiante a atmosfera durante as partidas da seleção da Polônia diante da sua torcida. O Ministério do Esporte e Turismo daquele país europeu decidiu incluir esse esporte entre as atrações do país, que no ano passado recebeu cerca de 18 milhões de visitantes, segundo a Organização Mundial do Turismo.

Em março, o voleibol ganhou destaque no estande da Polônia na ITB Berlin, principal feira do calendário internacional de turismo – realizada anualmente na capital alemã, reunindo mais de 180 países. “O vôlei estreou numa série de eventos turísticos. Nossa presença na ITB Berlin foi precedida por pequenas mostras em Helsinque (Finlândia) e Tel Aviv (Israel), e logo depois de Berlim também fomos a um evento em Moscou (Rússia). Nossa exposição em Berlim foi maior, mas foi uma escolha que fizemos, já que o vôlei está ganhando popularidade na Alemanha e por ser um país vizinho”, disse ao Saque Viagem o presidente da Federação Polonesa de Vôlei (PZPS, na sigla em polonês), Jacek Kasprzyk.
 
 
"O vôlei é o segundo esporte do país, desperta muita paixão entre nós", diz o presidente da Federação Polonesa de Vôlei, Jacek Kasprzyk (Foto: Cyfrasport/PZPS)

 
Recorde
A Polônia, tricampeã mundial (1974, 2014 e 2018) e campeã olímpica (1976), detém os dois maiores públicos já registrados na história da modalidade em jogos oficiais: 65 mil pessoas na abertura do Campeonato Europeu masculino de 2017, no Estádio Nacional de Varsóvia, e 62 mil, no mesmo local, na capital polonesa, na abertura do Campeonato Mundial masculino de 2014. Esses números só são superados pelo amistoso em que o Brasil venceu por 3 a 1 a antiga União Soviética, diante de 95 mil pessoas ao Maracanã, no Rio de Janeiro, em 1983.

Na final do Mundial 2014, em que a Polônia derrotou o Brasil por 3 a 1, enquanto 12 mil pessoas lotavam a Spodek Arena, em Katowice, do lado de fora outras 50 mil acompanhavam a partida por um telão na fan zone. Ainda na primeira fase, quando o time da casa venceu a Argentina por 3 a 0, em Breslávia, com um público de 6,5 mil torcedores enchendo o ginásio, havia 70 mil na área externa destinada aos fãs. Também na etapa inicial, em Cracóvia, num grupo sem a presença da Polônia, 15 mil pessoas lotaram a Tauron Arena para ver franceses e americanos em ação, com vários torcedores do lado de fora por não terem conseguido ingresso.

“O vôlei é o segundo esporte do país, depois do futebol, mas desperta muita paixão entre nós. O público polonês valoriza os resultados, além da eficiência na organização de eventos esportivos e a qualidade dos torneios. O vôlei na Polônia é visto como um esporte para a família, alegre e cheio de energia positiva. Não é sem razão que a Polônia é reconhecida como o país do vôlei. É essa atmosfera que queremos mostrar a quem vier ao nosso país”, explicou Jacek Kasprzyk.
 
 
A Polônia detém dois recordes de público no voleibol: no Mundial em 2014 e no Europeu em 2017

 
Menu
Ciente de que o vôlei por si só não seria suficiente para levar multidões à Polônia, a PZPS, em parceria com a Organização Polonesa de Turismo (vinculada ao Ministério), tratou de incluir a modalidade entre outras atrações. A Polônia, que em 2018 recebeu pouco menos da metade do número de visitantes da vizinha Alemanha, oferece cenários como montanhas, lagos, florestas, a vida noturna de suas principais cidades e ainda locais históricos. O voleibol, acredita Kasprzyk, pode compor esse menu e ainda atrair novos fãs, passando a ser reconhecido como um esporte “altamente competitivo” por quem visitou o país e teve contato com a modalidade. “Quem sente essa vibração do público polonês certamente não esquece”, completou o presidente da PZPS.

Na ITB Berlin, a federação polonesa promoveu a Liga das Nações Masculina de 2019 e o pré-olímpico. De 31 de maio e 2 de junho, em Katowice, a Polônia, atual campeã mundial, enfrentará Brasil e Estados Unidos, vice-campeão e medalhista de bronze, respectivamente, além da boa seleção da Austrália. De 9 a 11 de agosto, em Gdansk, é a vez do qualificatório para Tóquio 2020, quando os poloneses vão encarar França, Eslovênia e Tunísia.

No naipe feminino, menos badalado no país, a PZPS espera ampliar a audiência até o Mundial de 2022, que a Polônia vai co-sediar com a Holanda, e fazer do evento uma atração a mais nos pacotes turísticos.
 
 

 

Eventos
A participação do voleibol em outras grandes feiras do calendário internacional está confirmada pela PZPS, mas falta definir com a Organização Polonesa de Turismo em quais eventos.

“Em Berlim, tivemos muitas atividades, fizemos concursos, apresentações explicando o vôlei a quem visitava o nosso estande, sempre procurando diverti-los. Milhares de visitantes tiraram fotos com o troféu de campeão mundial 2018 e com a mascote da nossa seleção, a águia. Há anos a PZPS tem sido uma das federações mais criativas desse esporte. A nossa presença nas grandes feiras é outro desafio no qual assumimos o papel de pioneiros”, afirmou Kasprzyk ao Saque Viagem.
 
 
Federação Polonesa fez interações com o público em feira alemã de turismo (Foto: Filip Grądek/PZPS)