Sob gritos de “uhu, é seleção”, Macris garante foco nas finais da Superliga

Por Vanessa Kiyan - 22/04/2019 - 10h02 - São Paulo

Macris tem torcida para ser convocada por Zé Roberto (Foto: Wander Roberto/Inovafoto)
 
Não seria exagero dizer que a torcida do Itambé/Minas nutre dois desejos neste final de temporada. O maior deles, claro, é levar de volta para o bairro de Lourdes, em Belo Horizonte (MG), o caneco de campeão da Superliga feminina. O último a entrar na galeria de conquistas das minastenistas foi o da distante temporada de 2001/02.
 
Há, também, uma comoção geral por Macris na seleção. Logo após a vitória sobre o Dentil/Praia Clube no Mineirinho, na primeira partida das finais da edição 2018/19, um grupo de torcedores se concentrou perto da zona mista, onde a levantadora conversava com jornalistas, para reforçar: “uhu, é seleção, uhu, é seleção.”

De forma tímida, Macris abriu um sorriso ao escutar o apelo, mas explicou: “meu foco está agora aqui nas finais da Superliga. Meu objetivo é fazer o meu melhor, evoluir a cada dia. Depois que a Superliga acabar, o que vier pela frente, se vier esta oportunidade (da seleção), eu vou me dedicar para fazer o meu melhor.”
 
Enquanto o técnico Zé Roberto espera o término da competição para anunciar a convocação das finalistas, a camisa 3, que tem roubado todos os holofotes à frente da equipe minastenista, se concentra em realizar outro sonho: vencer pela primeira vez uma Superliga. O primeiro passo foi dado após o triunfo sobre as praianas, no tie-break, diante de 8 mil torcedores.
 
 
 
 
“É incrível sempre ter a torcida ao nosso lado, essa energia, essa força. O Praia tem uma grande equipe como um todo, não só as bloqueadoras. É um grande confronto, e a gente tem que deixar sempre o nosso melhor dentro de quadra. A pressão sempre existe, independente de onde a gente estiver jogando.”
 
Mas por pouco o Praia Clube não azedou as ambições do Minas. Após vencer os dois primeiros sets, o time de Macris sentiu o crescimento das adversárias e tomou um duplo 25 a 17. A redenção veio no tie-break, quando as minastenistas não deixaram qualquer dúvida sobre para qual lado iria a vitória na abertura da série melhor de três da decisão.

“Ali (antes do tie-break) a gente falou: “estamos juntas, isso aqui é um conjunto, um grupo, todo mundo vai se ajudar, e a gente tem que colocar o nosso coração dentro de quadra”. Tínhamos que colocar dentro de quadra tudo o que a gente fez durante a temporada. Era um momento muito difícil, não é fácil você tomar a virada e voltar forte para o quinto set, mas a gente mostrou lucidez e capacidade”, avaliou Macris.
 
Na próxima sexta-feira (26), às 21h30, o Minas volta a medir forças com Praia Clube pela segunda rodada das finais. Para Macris levantar o seu primeiro caneco da Superliga, e para o time da capital mineira pôr fim ao longo jejum de conquista na liga, é preciso emplacar mais uma vitória sobre as praianas, que desta vez jogam em Uberlândia (MG). O SporTV transmite.
 
 
Time de Macris abriu 2 a 0, tomou o empate, mas se recuperou no tie-break (Foto: Wander Roberto/Inovafoto)